domingo, 12 de julho de 2015

07/07/2015 - Relembrando

Foto FB/IG - julho 2015
07/07/06. 18:00 horas. Termino a consulta e, enquanto eu me arrumo, o médico já me espera com o Ni: "Agendei para amanha cedinho sua cesárea!" Levo um susto e após a explicação, aceito que esse bebezinho de 42 semanas, tinha que vir ao mundo dessa maneira. Tinha medo, mas sempre sonhei com a bolsa estourando, ir correndo para o hospital, a dor da contração, essas coisas. Não tenho a mínima ideia de como seria. E nunca saberei. Mas aprendi a aceitar esse fato. A noite foi de muita ansiedade. Na manhã seguinte, nós finalmente iríamos saber se aquele bebezinho que tanto se mexia dentro de mim era um menininho ou uma menininha. Nem nome escolhido definitivamente nós tinhamos. Só sabíamos que já éramos apaixonados por ele ou por ela. Tive medo da anestesia, tive medo da cirurgia, mas quando chegou a hora só pensava em conhecer nosso bebezinho. E aí, o bebezinho chorou. Eu chorei junto, o Ni chorou junto também e no meio daquela emoção toda, eu não conseguia entender se era um menino ou uma menina, mas aí chegou pertinho de mim a minha menininha, a minha bebezinha. Que emoção! Minha vida tinha se modificado drasticamente. Um serzinho sem nome ainda tinha me modificado para sempre. Eu tinha começado a ser mamãe na vida real e não só nos meus sonhos. Me senti plena e completa. Ela ainda ficou sem nome por mais algumas horas. Quando eu e o Ni ficamos sozinhos, decidimos que cada um pensaria nos nomes já antes conversados e escolheríamos qual tivesse a sua carinha. Sem planejar e sem saber, escolhemos o mesmo nome e assim aquele bebezinho foi chamado de ANA LUISA no dia 08/07/06.

Nenhum comentário: