sábado, 9 de fevereiro de 2013

Férias de verão das menininhas! A mudança! 03/02/2013



Estas férias de verão me fizeram perceber que minhas menininhas estão crescendo. Como percebi isto? Pela primeira vez em toda a nossa vida em família elas viraram gente independente: o programa preferido das férias era ficar com as crianças da vizinhança. E ponto final.

Ficar com a mamãe?
Não obrigada! Sair com a mamãe? Não agora,tá?

Bem, moramos em um bairro que foi projetado por alguém que com certeza iria morar na rua que moramos e precisamente do lado direito desta rua. Ou se não ia, alguém que ela ou ela (quem projetou) conhecia, ia morar! Só pode ser isso, pois temos mais de 10 metros de "calçada" na frente de casa (enquanto que o outro lado deve ter apenas uns 3 metros). Resultado? Temos calçada, muito espaço para grama (mas no momento temos pedra brita), 9 árvores (entre elas uma mangueira e um ipê amarelo) e assim, MUITA sombra!

Há na mangueira uma corda muito legal onde as crianças amam se dependurar! Há calçada, há rampa e se não bastasse tudo isso, meu marido colocou duas cordas e fez algo como o slack-line, mas com a corda de cima para se equilibrar. O paraíso das férias para a vizinhança toda e pela primeira vez em nossa estória de vida familiar, a vizinhança toda infantil aparecia por aqui todos os dias. A faixa etária? De 2 a 12 anos.

Foi legal! Brincaram de skate (até eu me aventurei), de gira-gira, de corda, de amarelinha, de motoquinha, de bicicleta, de patins, de qualquer coisa legal que inventassem. Teve água, suco e pipoca todo dia para todo mundo. Muito picolé! Muita conversa! Muita risada! Muita diversão! T-o-d-o dia, quase o dia todo! E eventualmente, alguma briga, algum machucado ou picada de formiga. Mas nada acabava com a alegria deles.

Alguém pode pensar: "Ah, mas assim, ela teve uma folga?" O que? Respondo eu. Normalmente eram entre 9 ou 12 crianças. Folga assim como?

Nunca o pessoal mais velho tinha vindo aqui. Nestas férias de verão, minhas menininhas estavam com 6 e 4 anos e foi o marco do crescimento visível delas.

Elas estavam com um brilho no olhar que não tinha nada a ver comigo. Confesso:  não foi fácil perceber que sou "substituível". Naqueles momentos, elas não precisavam de mim. E sei que pouco a pouco, isso vai acontecer com mais e mais frequência. Mas elas estavam tão felizes que nem ousei pensar muito no assunto.  

 P.S.:
Nestas férias, a menininha menor foi ao cinema pela primeira vez. Eu sei que parece um absurdo ela com 4 anos nunca ter ido ao cinema, mas a correria da vida, a calçada grande, os parques, o clube e principalmente o desinteresse dela por desenhos até uma certa fase da vida nunca nos estimularam a querer ir. E uma vez resolvemos ir, nos arrumamos, chegamos lá e os ingressos tinham se esgotado. Elas não ficaram chateadas. Brincaram andando pelo shopping, comemos algo, tomamos sorvete e pronto, tudo estava bem outra vez! Desta vez, planejamos com as coleguinhas da escola e ela gostou muito. Mas até hoje não pediu para ir novamente. Mas nas férias de julho, vamos de novo.


Nenhum comentário: