sexta-feira, 6 de agosto de 2010

A volta! 07/08/2010

Eu preciso das palavras escritas quase como preciso de ar. Sempre soube disso.
Estava me sentindo um pouco incompleta sem internet em casa, mas não pelas razões mais óbvias hoje em dia, mas sim pela falta de ler e escrever online.
Informação é importante para mim e ler de tudo um pouco me faz bem, mas nada, nada mesmo nesse mundo de faz-de- conta se compara a escrever essas coisas públicas e outras privadas que tenho como um diário.
Tenho cadernos, tenho agenda, mas esse mundinho virtual me conquistou.
Ainda tenho um grande fascínio por cadernos em branco e todas as possibilidades que ele representa, mas a principal eu sinto aqui toda vez que abro uma nova página: tudo é possível. O recomeço está sempre presente.
Não vejo a hora de minhas meninas crescerem um pouco mais e eu poder apresentar formalmente um dos melhores presentes que posso oferecer: o mundo mágico das letrinhas que saem do coração. Acho que é por isso que aqui em casa quase tudo pode ser usado como caderno (mesmo com desaprovações alheias). -"Mamãe, posso escrever no meu livro(no meu caderno, na minha boneca, nesse pedaço da parede, na minha perna, na sua mão...)?" -'Pode sim, minha filha, pode sim!" Pois sei que depois a gente apaga (se der). E se não der, quem sou eu para limitar algo que considero essencial: o mundo das letrinhas que vem do coração (seja o nosso ou de outros através da literatura).
Àquelas pessoas que sentiram minha falta: estou de volta! E obrigada por me acompanharem nessa jornada solitária, mas tão importante na minha vida.
Para mim, para você, mas principalmente para minhas menininhas essa canção que diz tudo o que sinto e um pouco do que desejo para elas (fora a voz desse cara -desculpem a total informalidade- que para mim é a música das músicas para meu ouvido):



Um comentário:

Lisiê Piccolotto Aguiar disse...

Lu
que bom que vc está de volta !
adoro tudo que vc escreve, pois sei que são palavras do coração !
bjo