quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Ah, por favor! 11/08/2010

Sou mamãe de duas menininhas bem ativas, curiosas, corajosas, criativas e bem agitadas. Tudo no melhor dos sentidos. Tudo de uma maneira saudável. Tudo sem ultrapassar nenhum limite (na maioria das vezes). Nem os delas, nem de ninguém. Principalmente de nenhum adulto.
Por isso, eu fico fora de mim quando vejo no olhar de algum adulto qualquer resquício de desaprovação de minha conduta como mãe.
Amo minhas menininhas mais do que sonhei imaginar antes de ter fihos. Cuido delas da melhor maneira, da maneira que acredito ser o melhor para o crescimento saudável delas em direção a uma vida adulta plena e satisfatória. Posso cometer erros? Lógico! Posso errar na dose a longo prazo? Lógico! Mas isso pode acontecer com qualquer pai ou mãe. Mesmo com aqueles que tem todas as respostas para os seus próprios filho e o pior, para os filhos dos outros.
Minhas meninas sobem, escalam, pulam, saem correndo, andam descalças, gritam, brigam uma com a outra, comem areia, tomam sorvete no frio, não usam blusa de frio em excesso (para o padrão calorento delas que é calorento mesmo quando todos os normais do mundo estão tremendo de frio), nadam no verão ou primavera mesmo se estiverem gripadas, de vez em quando trocam o jantar ou almoço por lanche, desenham em algumas partes da parede, às vezes pintam o corpo todo com tinta ou canetinha, ficam horas tomando banho (até pedirem para sair toda enrugadas), pulam em poça d'água, não apanham e não podem bater (é só olhar no final , na parte mais baixa deste blog do lado direito uma campanha que apoio desde antes de ter filhos... e antes que já me julguem, sou a favor sim de DISCIPLINA e LIMITE, é lógico, mas não de punições físicas)...
Bem, estas são apenas algumas das coisas que não permito que me ensinem ou me cobrem a fazer diferente.
Não, elas não ficam gripadas o tempo todo. Não, elas não têm alergias. Não, elas não caem e se machucam o tempo todo. Não, elas não são desobedientes e abusadas o tempo todo. Não, elas não fazem tudo o que querem na hora que querem. Mas sim, elas têm sim uma maior liberdade para viver. Mas sempre com meu cuidado ou de quem está com elas. Sempre com meu amor.
Sempre com meu desejo de vê-las crescendo como diz o título do meu blog aqui.
Então por favor, não me recriminem. Não me ensinem a ser mãe. Ninguém quer o melhor para elas como EU quero. E sou sim bem consciente e bem informada sobre o desenvolvimento infantil e da adolescência. Antes mesmo de ter filhos quando era apenas uma profissional ávida por entender meus alunos.
Vou errar a longo prazo? Pode até ser que sim, mas a curto prazo tem funcionado. Elas me dão mais alegrias do que me deixam de cabelo em pé.
Vou ser uma mãe perfeita? NÃO! E nem busco esse título. Só quero fazer o que puder fazer de melhor para elas e para nossa dinâmica familiar.
Sonho em vê-las crescendo humanas, sabendo se colocar no lugar do outro, sabendo lutar por seus ideais sem precisar derrubar ou julgar ninguém porque nunca sabemos de verdade todas as cores do jardim do outro.
Então, por favor, não me julguem como mãe (ou minhas menininhas porque aí a leoa aqui fica totalmente irracional) sem conhecer todos os lados de nossas vidas e nossas estórias e muito menos sem conhecer todo nosso lado mais doce.
Mas mais do que tudo, não venham me dizer como agir ou como não agir porque minha vontade mais branda seria de gritar para o mundo inteiro ouvir:
-"Ah, dá licença (ou outras expressões não tão apropriadas: Ah, não enche! ou Ah, sai fora! ou Ah, vai #*%& )!" E continuaria: -"Quem conhece minhas menininhas e a vida delas sou EU!"
Desculpem o desabafo, mas fui ao shopping esses dias e a Ana Luisa (que quando vai lá parece aqueles cachorros enormes, loucos e estabanados que nunca saem para passear), insistia em fazer "coisas perigosas" e um senhor (para ser bem simpática) me alertou sobre esses "perigos" num dia que meu humor estava de férias. Ah,por favor!
P.S. Mas ainda bem que a Ana Julia não tinha ido esse dia senão ele ia achar que além de "sei lá o que ele pensou" eu ainda fosse louca! :)
Amo minhas maluquinhas fofas e doces!

Nenhum comentário: