quarta-feira, 20 de maio de 2009

Coisas de Ana Luisa! A fase! 20/05/09

Ana Luisa está em uma fase que muitas vezes preferimos ficar em casa a sair com ela. Deixa eu explicar para não parecer crueldade:

Ela está feliz, de repente algo acontece que não é do agrado dela e ao invés de ficar triste, fica brava, chora, fala alto, grita, se desespera às vezes.
Ela acha que pode tudo sozinha, não precisa de ajuda, finge que não escuta, não quer usar meia, tênis, sapato, bota porque tudo aperta. (Muito petado mamãe, muito petado) Até blusa de frio! E o pior é que está frio agora! Não deixa mais escolhermos as roupas dela.
Quando ela quer algo, não muda de ideia, não se deixa distrair com outras coisas como antes e não esquece!
Ela quer tudo e mais um pouco e fica brava se não tem o que quer!
Ela já havia passado por uma fase assim um pouco antes de completar dois aninhos. E como sei da fase "terrible twos", nos munimos de informações, de táticas, de paciência e passamos por essa fase. Tudo se ajeitou.
É lógico que havia conflitos, dificuldades, mas não saía do controle, nem nos deixava a sensação de vazio por não saber o que fazer direito!

E assim foi durante o final do primeiro ano, durante a gravidez, no começo dos dois aninhos, no nascimento da irmã e nos primeiros meses da irmãzinha aqui conosco. Tudo sob controle. Não fácil, mas sob controle!

Mas agora, ela está mais "adolescente" do que nunca. Tem opiniões cada vez mais dela, tem vontades cada vez mais dela, quer fazer tudo sozinha e do seu jeito, etc. E tem feito coisas que nos deixam com receio: subir em tudo que puder, pular, escalar, e se divertir muito com isso! Quanto mais alto for, mais feliz ela fica! Quer ir ao banheiro sozinha, se limpar sozinha, tudo sozinha! Quer comer sozinha, contar os alimentos sozinha, preparar as coisas sozinha! E tudo do jeito que ela acha que deve ser!

Sei que tudo isso é normal, faz parte da fase, mas o problema está em como ela está agindo para tentar conseguir o que quer:
Choros e mais choros (como diz o Ni: Vai desidratar qualquer dia);
Birras;
Manhas;
Ameaças de bater;
Gritos;
Dissimulações ("Mamãe, tá muito apetado, tá muito caloi (calor), tá muito duro (para comidas que não quer), tá muito fedido, tá muito..." E por aí vai!);
E o pior, não está querendo obedecer!

Não sei se é coincidência, mas tudo isso começou há pouco tempo atrás, mais especificamente depois que a irmãzinha começou a dar sinais de ser gente e ter mais vontades e habilidades. Mais especificamente ainda quando começou a engatinhar, a subir nos moveis e a interagir mais de fato! Não sei se essa foi a forma de competir, mas não creio que ela precisasse disso já que sempre e desde o princípio tomamos todos os cuidados para não deixá-la de lado em hipótese alguma. Mas nunca sabemos o que se passa na mente e coração humano. Além de que ela ainda está naquela fase dos dois anos!

NÃO sou a favor do bater (se ela não pode bater, como vamos dar o exemplo?), do gritar (se ela não pode gritar, como vamos dar o exemplo?) do ameaçar, do instigar medo do desconhecido, do mentir (tudo que adulto não pode fazer também),mas somos SIM a favor dos limites! Tenho procurado dizer não quando é realmente necessário e não em qualquer e toda situação por capricho do adulto, tenho procurado manter esse não e não voltar atrás (mesmo com choros, gritos e afins. Mas em casa tudo se ajeita, mas e quando estamos em público?), tenho procurado chamá-la em um quarto só nós duas e não sairmos de lá até ela se acalmar e pedir desculpas para mim ou quem quer que tenha sido alvo de sua fúria, descontrole ou desobediência (pedir desculpas apenas se ela tiver feito algo que não é correto perante nossas regras, ou perigoso para ela ou irmã, mas a irmã também tem que se desculpar quando faz algo "errado" como puxar o cabelo, derrubar coisas da mesa de propósito. Fazemos isso porque ela entende que tudo é para todos, não entende que a irmã tem apenas 7 meses)


Enfim, tenho tentado ter paciência, pulso firme, tenho brincado com ela, gastado energia, lido estórias, etc, como sempre fiz. Confesso que tenho ficado um pouco desanimada com suas atitudes porque por mais que tentamos agradar, fazer o que ela gosta e precisa nessa fase, sempre tem algo que vai fazer com que ela se "rebele". Sempre! Em casa, na rua, no quarto, no banheiro, no carro! Mas vou tentando, acertando, lendo o que puder para entender melhor as fases das crianças, dividindo com outros, me abrindo, pedindo conselhos e querendo saber como é na casa de cada um.

Mas nem sempre é fácil. Então se alguém puder, compartilhe como é ou foi na casa de vocês. Mesmo que a filosofia de vida ou de criar filhos difira da nossa. Sempre haverá algo que pode nos ajudar a entender a fase e a agir!

Mas algo importante: Não, não é o tempo todo assim! Ela é um amor de pessoa! Uma fofa! Mas está se descobrindo e tentando se impor como gente! Ela tem seus momentos doces sim. Ela é sensível, espertinha, bem humorada, prestativa, gosta de rotina, usa o cinto na cadeirinha o tempo todo, canta, dança, ri, brinca com a irmã, abraça e beija a gente, faz papai do céu, oferece comida a quem está ao lado dela (pelo menos em casa) , pede para a gente ficar junto quando assiste o lobo mau, ama a irmãzinha mais do que tudo e se preocupa com ela também. Na escola, é só elogios (vai entender, quando era um doce em casa, queria morder os coleguinhas na escola, agora que está um doce na escola, quer "morder" quem atravessa o seu caminho em casa). Ela é uma criança como todas. Talvez somos nós que estamos um pouco inseguros como ajudá-la a passar por essa fase!

E que possamos agir com sabedoria sempre! Em qualquer fase nova de nossos filhos!

Um comentário:

Lisie disse...

Lu
nossa, to espantada ! igual, identico aqui em casa...e por incrivbel que pareça começou qdo a Clara começou a engatinhar, a chamar mais atenção.amiga, ainda bem que não estamos sozinhas nesse barco...estou procurando algum livro sobre isso, se achar um me fala tá.estou relendo o " quem ama educa "...mas não ajudou muito não...