quarta-feira, 10 de setembro de 2008

LUTO: Nós! 10/09/08_37 semanas e 6 dias


A foto da família deveria ter mais uma pessoa e essa pessoa é minha mãe Mas não posso dizer que não está completa porque ela está e sempre estará presente em nossos corações.
Ontem fez três semanas que minha mãe faleceu. Não posso dizer que está sendo mais fácil, mas posso dizer que há dias melhores e outros nem tanto.
Mas definitivamente o tempo ajuda a tentar aceitar mais esse fato. Não ajuda ainda a não sentir saudade doída de tudo que vivemos e de tudo que ainda poderíamos ter vivido, mas a crueldade do tempo que nos arrasta com ele, nos faz ver que sempre a vida continua. E que pouco a pouco com a ajuda de todos e de Deus podemos nos levantar de novo. Só com o tempo é que aceitamos melhor que a vida continua sim.
E por aqui isso é mostrado não na mudança das estações ou nas datas do calendário e sim na vida em minha barriga. Nossa bebezinha continua a crescer e a crescer se preparando para essa vida linda aqui fora. E com todos nós!
Esses dias eu estava muito, muito triste, bem perdida e sozinha em uma tarde que não pude ir trabalhar. E como participo de uma comunidade no orkut chamada Pediatria Radical, resolvi postar um desabafo por lá relacionado à minha tristeza e receios do nascimento.
E que surpresa gostosa: tantas pessoas que não me conhecem me deram aquele abraço de conforto e carinho que tanto faz bem! Tantas palavras carinhosas, conselhos afetuosos, lembranças daquilo que poderia fazer ou deveria fugir de fazer. Coisas que a gente sabe, mas que nessas horas ficam amortecidas lá dentro.
Antes de passar por um momento tão delicado como a morte de alguém tão próximo, eu ficava imaginando que nada do que fosse dito nessa hora adiantaria, mas na minha situação percebi que ajuda e muito. Cada palavra de carinho e conforto, cada gesto de afeto, cada abraço apertado, cada presença silenciosa também ajuda. Ajuda a não nos sentir tão sozinhos, ajuda a nos sentir queridos, ajuda a tentar se levantar.
E fico muito agradecida ás pessoas que se fizeram presentes no dia, nos dias seguintes, nas semanas seguintes. E até hoje! A união da família e esse apoio de quem nos quer bem ou é solidário é algo que nunca esquecerei.
Ainda choro escondida, ainda choro sem lágrimas, mas estou tentando focar nas lembranças de uma forma que não fique saudosista, amarga ou sem esperança. Não é fácil, mas sei que valerá a pena a longo prazo. Sei que valerá a pena por meu pai, meu marido e minhas filhas em primeiro lugar. E nesse raciocínio, valerá a pena por mim.
Como foi me dito por alguém, minha mãe está em mim, está na educação que ela me deu, na visão de mundo que me ajudou a construir, nas brincadeiras que brincou comigo, nas lições que me ajudou a aprender. Sei que queria muito que ela continuasse conosco, que me visse mais tempo como mãe, que brincasse com minhas filhas, que me aconselhasse, que dividisse comigo a imensa alegria em ser mãe, em ser vovó, mas não posso me apegar a isso. Não tem como voltar a tê-la conosco dessa forma. Então escrevo aqui as palavras de alguém que resume bem esse pensamento:
"Sabe ela vai conhecer sua mae sim, por meio de vc, vc deve ter os cabelos dela, alguns trejeitos dela, tem a força e alegria que ela também te deu, tem o amor que ela te deu. As brincadeiras que ela fez com vc vc passará à sua filha. Com certeza ela estará em cada abraçoo seu, cada beijo seu, porque ela foi quem te passou isso ao vivo e você passará à sua filha e sua filhotinha ... Cada conselho bom que ela te deu você também passarà a sua babay, e você também olhará a sua filha com os olhos de sua mãe quando ela nascer, tenho certeza disso ... Sua mãe está à sua volta em cada coisa linda que deixou e ainda faz porque o amor que se recebe, espalha-se para a vida inteira e fica na alma da casa, das plantas, dos quartos, de tudo lindo que a gente conhece..."
E finalizando o que foi dito, fica em nossos corações. Para sempre!
Obrigada mãe por tudo que a gente compartilhou. Obrigada Deus por esse presente que foi a vida dela conosco. E nos ajude a seguir adiante e a tirar esse vazio do peito até que reste apenas aquela saudade gostosa!

Nenhum comentário: