quinta-feira, 12 de junho de 2008

Dia especial! Dia dos Namorados! 12/06/08_25 semanas


Dia do amor!

Não me lembro muito bem da primeira vez que entendi o significado desse dia especial chamado Dia dos Namorados. Mas me lembro muito bem da primeira vez que escrevi um poema de amor.


A imagem que tenho desse dia e que carrego comigo é de delicadeza. Daquele tipo que carregamos conosco lá dentro do coração e que nos faz sonhar, que nos torna leve, que nos faz acreditar em colo, atenção, disponibilidade, olho no olho, toque de mãos, aconchego, carinho e paz. E tudo isso tendo alguém ao lado ou não porque é a imagem que temos do amor que nos empurra pra frente, que nos faz seguir adiante em busca daquilo que nos faz bem.


A vida nem sempre se apresenta delicada, suave, no tom certo, mas se temos essa visão dentro do coração, seguimos acreditando que essa suavidade existe sim, pois afinal de contas, ela mora dentro de nós mesmos.


Não consigo descrever essa fase de minha vida de forma suave como meu eu interior me faz ver o amor idealizado, mas é muito mais real e concreta e me deixa tão mais feliz que até me assusta.


Não tenho tempo de ouvir músicas daquele tom que sempre me fez sonhar, imaginar e sorrir por dentro. Não tenho tempo de escrever sobre as idéias que tenho do amor. Não tenho tempo de curtir sozinha ou acompanhada aquele por do sol que te faz esquecer de tudo. É tudo muito real agora. Mas nunca me senti tão segura e tão forte. Sabe aquele tipo de certeza que estou no caminho certo? Ela mora comigo agora. Não me deixa ter tempo de ter a suavidade que sempre precisei para viver, mas me empurra a seguir em frente sem medo de me arrepender porque sei que esse é o caminho que tenho e quero seguir agora, por mim e por minha família. A suavidade deu lugar à realidade da vida, mas é algo que não troco por nada nesse mundo.


Meu dia dos namorados nesse ano veio em um dia que estou cansada por causa da febre da Ana Luisa que pela primeira vez não nos deixou dormir esses dias (mas ela já está melhorando), veio também em um dia de muito trabalho, no dia que vamos fazer o ultrassom morfológico da nossa nova bebezinha e quem sabe, se a babá puder ficar um pouquinho mais, em um dia que vamos tentar fazer um happy hour depois do ultrassom. Não teremos jantar a luz de velas, presente surpresas, declarações ao luar e sozinhos, mas teremos muito amor e muita cumplicidade e a certeza de que estamos no caminho certo.


Chegará um dia que a suavidade voltará a reinar por aqui, mas até lá, estou muito feliz com a realidade que a vida que nos proporciona. Sei que o cansaço normal dessa fase passará, que terei e teremos todo o tempo do mundo, mas sei também que sentiremos muita falta do que estamos vivendo, por isso tento aproveitar cada segundo.


Com relação ao amor de casal, sei que não é e não pode ser unilateral. Ele é completo, dá trabalho, envolve renúncias, abdicações, humildade, carinho, fé, otimismo, esperança e o mais importante, ele te completa. Não por te dar o que te falta, mas por se encaixar no que já temos dentro de nós. Temos que já ter em nós o elo que nos conecta com o mundo, com Deus e principalmente com nós mesmos. Aí, quando aparece alguém, pouco a pouco, esse alguém pode te ajudar a ser mais feliz em sua caminhada. Sem obrigação de te fazer feliz, mas com o mesmo intuito e entendendo que esse trabalho e renúncia compensam sim. Aí, é só dar as mãos e caminhar juntos. Na tristeza e na alegria! Lado a lado! Entendendo que há tempo para tudo menos para ser feliz, pois isso deve ser todo dia de acordo com que a realidade lhe oferece.


Abraços e um ótimo dia dos namorados a todos nós! Do jeitinho que ele se apresentar!


Nenhum comentário: