domingo, 25 de maio de 2008

Aos meus amigos! 17/05/08_21 semanas


O pensamento de hoje é dirigido aos meus amigos!

Quando a gente é mais jovem, com todo o tempo do mundo, temos muitos amigos e todo o tempo do mundo para nos dedicarmos a eles. Depois de uma certa idade e responsabilidades, temos menos amigos e não podemos vê-los com tanta frequência, mas ainda assim podemos dar um jeitinho. Mas quando se trabalha, tem família e filhos pequenos, manter esse vínculo no dia-a-dia se torna uma tarefa quase impossível. E quando temos tudo isso e ainda se está grávida, acontece o que está acontecendo comigo. Mas não é de propósito, tá?

Tenho várias pessoas que considero muito e que de uma forma ou de outra me conquistaram. São pessoas que valorizo o jeito de ser e a amizade. Gostaria de vê-las ou manter contato de uma forma mais frequente, mas quando vejo já passou um dia, um fim de semana, um mês e por aí vai. Sinto falta dessas pessoas em meu dia-a-dia. De verdade! Alguns são amigos de longa data, outros mais recentes, outros ainda só posso ter contato mais frequente via esse mundo virtual, alguns são amigos de dar risada, outros de abrir o coração, outros de estar junto, alguns me ligam, me procuram, outros podem ter desistido um pouco, outros podem até imaginar que já não são essenciais em minha vida, mas são! Sinto falta!

Meu eu pessoa está meio de lado para poder me dedicar a esse papel sublime que a vida me proporcionou que é ser mãe e ainda estar trabalhando bastante. Mas como eu sinto falta dos meus amigos! E como gostaria que soubessem disso. Então, se você é meu amigo e está lendo isso aqui, é de você que estou falando. Sinto sua falta! Vamos procurar ficar mais em contato? :)

Abraços! Esse pensamento é para você:

"Tenho amigos que não sabem o quanto são meus amigos. Não percebem o amor que lhes devoto e a absoluta necessidade que tenho deles.
Até mesmo aqueles que não percebem o quanto são meus amigos e o quanto minha vida depende de suas existências...
A alguns deles não procuro, basta-me saber que eles existem. Esta mera condição me encoraja a seguir em frente pela vida.
Mas, porque não os procuro com assiduidade, não posso lhes dizer o quanto gosto deles. Eles não iriam acreditar.Muitos deles estão lendo esta crônica e não sabem que estão incluídos na sagrada relação de meus amigos.
Mas é delicioso que eu saiba e sinta que os adoro, embora não declare e não os procure. E às vezes, quando os procuro, noto que eles não tem noção de como me são necessários, de como são indispensáveis ao meu equilíbrio vital, porque eles fazem parte do mundo que eu, tremulamente, construí e se tornaram alicerces do meu encanto pela vida.
Se um deles morrer, eu ficarei torto para um lado. Se todos eles morrerem, eu desabo!
Por isso é que, sem que eles saibam, eu rezo pela vida deles. E me envergonho, porque essa minha prece é, em síntese, dirigida ao meu bem estar. Ela é, talvez, fruto do meu egoísmo.
Por vezes, mergulho em pensamentos sobre alguns deles. Quando viajo e fico diante de lugares maravilhosos, cai-me alguma lágrima por não estarem junto de mim, compartilhando daquele prazer...
Se alguma coisa me consome e me envelhece é que a roda furiosa da vida não me permite ter sempre ao meu lado, morando comigo, andando comigo, falando comigo, vivendo comigo, todos os meus amigos, e, principalmente os que só desconfiam ou talvez nunca vão saber que são meus amigos de verdade!"

3 comentários:

karine disse...

oie.. muito lindo... bjaoo

Anônimo disse...

Oi,Lu!!!
Você nem imagina quanto é importante prá mim fazer parte desse seu círculo de amigos que voce gosta,quer estar em contato e preza tanto...,afinal,sou sua amiga,vc é amiga de meus filhos,de meus sobrinhos e irmãs,de minha mãe...sem contar que eu te conheço desde pequenininha...hehe...
você faz parte da minha vida!e agora suas filhinhas também!!
beijim beijim

Sonia disse...

ei!esqueci de colocar o meu nome aí em cima ,mas eu sei que vc já sabe quem é...
beijim beijim